You are currently viewing Insônia tem relação com as doenças do coração?

Pessoas que sofrem de insônia podem ter um risco aumentado de doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca e derrame.

As informações integram um estudo que foram publicadas recentemente na revista Circulation da American Heart Association.

Infelizmente, os problemas cardíacos são uma das principais causas de doença e morte no Brasil. Por ano, mais de 400 mil pessoas morrem em virtude de doenças cardiovasculares no país.

Embora já seja bem conhecido que fatores como dieta inadequada, exercícios limitados e tabagismo podem prejudicar o coração, há um reconhecimento crescente dos perigos da privação de sono para a saúde do coração.

E é sobre essa relação que falo no artigo que preparei abaixo. Vamos conferir?

O que dizem os estudos

De acordo com estudos observacionais, foram encontradas uma associação entre a insônia, que afeta até 30% da população em geral, e um risco aumentado de desenvolver doenças cardíacas e derrame. 

Neste estudo inédito sobre insônia, foram aplicadas a randomização mendeliana, uma técnica que usa variantes genéticas conhecidas por estarem relacionadas a um fator de risco potencial, como a insônia, para reduzir o viés nos resultados. 

Os 1,3 milhões de participantes com ou sem doença cardíaca e derrame foram retirados de quatro grandes grupos e estudos públicos.

Os pesquisadores descobriram que as variantes genéticas para a insônia estavam associadas a chances significativamente maiores de doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca e acidente vascular cerebral isquêmico — particularmente acidente vascular cerebral grande, mas não fibrilação atrial.

Leia também::: O risco dos refinados na alimentação para a saúde cardiovascular

Problemas da privação do sono

Evidências demonstram que problemas de insônia, incluindo privação de sono e sono fragmentado, têm efeitos negativos na saúde do coração.

O sono é um momento essencial para o corpo se recuperar. Durante os estágios de sono do movimento não rápido dos olhos (NREM) , a frequência cardíaca diminui, a pressão arterial cai e a respiração se estabiliza. 

Essas mudanças reduzem o estresse no coração, permitindo que ele se recupere do esforço que ocorre durante as horas de vigília.

Sem sono noturno suficiente, uma pessoa não gasta tempo suficiente nos estágios profundos do sono NREM que beneficiam o coração. O mesmo problema pode afetar pessoas cujo sono é frequentemente interrompido.

Como resultado, a privação crônica do sono tem sido associada a vários problemas cardíacos incluindo pressão alta, colesterol alto, infarto, obesidade, diabetes e derrame.

Insônia e pressão arterial

Durante o sono normal e saudável, a pressão arterial cai em cerca de 10-20%. Sono insatisfatório, seja por falta de sono ou interrupções, significa que a pressão arterial de uma pessoa não diminui à noite. 

Na verdade, descobriu-se que a pressão sanguínea noturna é ainda mais preditiva de problemas cardíacos do que a hipertensão durante o dia. 

O não mergulho no sono profundo está associado a um risco aumentado de acidente vascular cerebral e infarto. Também está relacionado a problemas renais e redução do fluxo sanguíneo para o cérebro.

O aumento da pressão arterial durante o dia foi identificado como consequência da privação de sono em vários estudos, mas não afeta todas as pessoas igualmente. A ligação entre falta de sono e hipertensão arterial é maior em adultos de meia-idade. 

Pessoas que trabalham muitas horas em empregos de alto estresse e pessoas com outros fatores de risco para hipertensão têm maior probabilidade de aumentar a pressão arterial depois de dormir mal de forma crônica.

Insônia e doença coronariana

A pesquisa descobriu que a privação do sono contribui para a aterosclerose. A placa se forma como consequência da inflamação, que envolve os glóbulos brancos, que são produzidos pelo sistema imunológico, para se acumular nas artérias. 

O sono insatisfatório desencadeia inflamação crônica, que contribui para a formação de placas e o endurecimento das artérias.

O impacto da privação de sono na doença coronariana também é considerado influenciado pelos efeitos do sono na pressão arterial. 

A hipertensão pressiona as artérias, tornando-os menos eficazes em levar sangue ao coração e, como resultado, contribuir para doenças cardíacas.

Insônia e infarto

A privação de sono aumenta o risco de infarto. Em um estudo, pessoas que dormiam menos de seis horas por noite tinham uma chance 20% maior de um infarto. 

As interrupções do sono também foram associadas ao potencial de infartos. Como a frequência cardíaca e a pressão arterial podem aumentar abruptamente ao acordar, as interrupções frequentes do sono podem causar estresse cardíaco e induzir um infarto.

Leia também::: Meditação: benefícios para a saúde cardiovascular

Cuide do seu coração

Muitos distúrbios do sono têm efeitos prejudiciais à saúde do coração. A insônia, um dos distúrbios do sono mais comuns, costuma ser acompanhada por sono insuficiente e pode levar a riscos elevados para a saúde cardiovascular, como mencionado acima.

Os distúrbios do sono relacionados ao ritmo circadiano, que ocorrem quando o relógio interno de uma pessoa está desalinhado com o dia e a noite, têm sido associados a problemas cardiovasculares. 

Por exemplo, pessoas que trabalham em turnos noturnos e têm que dormir durante o dia têm riscos aumentados de hipertensão, obesidade e diabetes, bem como eventos cardíacos, como um derrame ou infarto.

Por isso, procure melhorar a qualidade do seu sono, indo dormir mais cedo, evitando o uso de telas como celular ou TV antes de dormir, e procure deixar o quarto totalmente escuro. Isso permite que você consiga dormir melhor.

E caso tenha problemas com insônia, procure ajuda médica. Como fica claro, distúrbios do sono podem impactar até mesmo na sua saúde cardiovascular.

Espero que tenha gostado do artigo da relação entre insônia e doenças do coração. E para mais dicas e muita informação, siga também meu canal no Youtube!