You are currently viewing Como as ondas de calor da menopausa impactam o coração?

Pouca gente sabe, mas a menopausa e coração possuem uma estreita ligação — as mudanças hormonais dessa etapa da vida da mulher pode afetar sua saúde cardiovascular.

Aliás, uma nova pesquisa de 2020 da University of Queensland descobriu que as mulheres que têm ondas de calor e suores noturnos após a menopausa são 70% mais propensas a ter infartos, angina e derrames.

Para explicar melhor essa relação entre menopausa e coração, e o que pode ser feito para evitar o risco aumentado de eventos cardíacos, preparei o artigo abaixo. Siga a leitura e confira!

O que dizem os estudos

De acordo com o estudo que mencionei acima, mulheres de qualquer idade que experimentam ondas de calor e suores noturnos, também conhecidos como sintomas vasomotores, são mais propensas a sofrer eventos cardiovasculares não fatais.

Para chegar ao resultado, foram avaliados diversos estudos reunindo dados em nível individual de 23.365 mulheres. Ou seja, as mulheres que sofreram eventos de doença cardiovascular antes da linha de base foram excluídas.

No modelo ajustado, nenhuma evidência de associação foi encontrada entre a frequência de ondas de calor e doença cardiovascular incidente. Em contrapartida, as mulheres que relataram sudorese noturna “às vezes” ou “frequentemente” apresentaram maior risco de doença cardiovascular, que chega a 70%. 

Além disso, as razões de risco de doença cardiovascular em mulheres com ondas de calor graves, suores noturnos e quaisquer sintomas vasomotores foram 1,83 (intervalo de confiança de 95%, 1,22-2,73), 1,59 (intervalo de confiança de 95%, 1,07-2,37) e 2,11 (intervalo de confiança de 95%, 1,22-2,73) respectivamente. 

As mulheres que relataram a gravidade das ondas de calor e suores noturnos tiveram um risco maior de doença cardiovascular (taxa de risco, 1,55) do que aquelas com ondas de calor isoladas (taxa de risco, 1,33) e sudorese noturna isolada (taxa de risco, 1,32). 

Mulheres com sintomas vasomotores de início precoce ou tardio tiveram um risco aumentado de doença cardiovascular incidente. Isso quando comparado com mulheres que não apresentaram sintomas vasomotores. 

Por exemplo, os eventos cardíacos não foram explicados por questões como pressão arterial, diabetes, obesidade, exercício ou tabagismo, que são os suspeitos habituais. Mas para compreender a ligação, novos estudos ainda precisam ser feitos para determinar a causa exata.

Leia também::: O que causa placas nas artérias?

Um indicador de problemas subjacentes

As ondas de calor são episódios breves em que seu corpo parece estar superaquecendo. Eles podem durar alguns segundos ou minutos. 

Durante uma onda de calor, sua pele pode ficar vermelha e você pode começar a suar. Depois, você pode se sentir com frio.

As ondas de calor geralmente ocorrem nos meses que antecedem e alguns meses após a menopausa. No entanto, em algumas mulheres, eles persistem por anos. 

Mas sua frequência varia muito. Algumas mulheres podem ter apenas algumas ondas de calor em um ano, enquanto outras têm dezenas por dia. 

Não está claro o que causa as ondas de calor, mas alguns especialistas acreditam que o declínio no hormônio estrogênio afeta uma parte do cérebro conhecida como hipotálamo, que atua como termostato do seu corpo. 

Quando o hipotálamo sente que seu corpo está muito quente, ele desencadeia ações de resfriamento dentro de seu corpo. 

Aliás, como parte desse processo, os vasos sanguíneos se dilatam para se livrar desse calor extra. E é essa vasodilatação que pode explicar os efeitos causados no sistema cardiovascular.

Leia também::: Qual é a conexão entre ansiedade e doenças cardíacas?

Cuide do seu coração!

Então, que mensagem as mulheres devem tirar dessa descoberta? Levar a saúde do coração a sério e usar a menopausa como um momento para reavaliar os riscos.

Por isso, visite seu cardiologista regularmente e, ao se aproximar da menopausa, redobre a atenção em relação à saúde do seu coração.

Espero que tenha compreendido a ligação entre menopausa e coração e, por fim, para mais dicas e muita informação sobre saúde cardiovascular, siga meu canal do Youtube!