Obesidade e doença cardiovascular: por que estão relacionadas?

Obesidade e doença cardiovascular são assuntos que preocupam muitas pessoas.

Um levantamento do Ministério da Saúde relaciona à obesidade quatro das seis doenças que mais matam no país. Duas delas são cardiovasculares: o acidente vascular cerebral – AVC e o infarto do miorcárdio.

No Brasil, esses dados são alarmantes. Principalmente ao considerar que mais da metade da população encontra-se em condição de sobrepeso e obesidade.

Combater a obesidade mostra-se urgente para combater as doenças cardiovasculares. Além de agravar as chances do indivíduo sofrer com AVC ou infarto, ainda potencializa outros fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

Continue até o final para saber mais.

O coração do obeso

A quantidade de gordura em volta do coração do obeso é um sério fator de risco para o AVC e para o infarto. Isso porque é uma gordura considerada de origem ruim pelo organismo, afinal, não exerce nenhuma função.

Assim, os riscos do obeso sofrer com entupimento arterial são bem altos. Também pode ocorrer o enfraquecimento do músculo cardíaco ocasionado pelos altos níveis de açúcar no sangue.

Só por esse motivo, a obesidade já pode ser considerada um fator de alto risco. 

Como a obesidade pode ser o início de outros fatores?

Além da obesidade ser um fator de risco em si, ainda traz consigo a predisposição para muitos outros fatores.

A gordura corporal é apenas a ponta do iceberg para todo o problema metabólico ao qual um obeso está submetido. O grande obstáculo desse indivíduo é a resistência insulínica.

A insulina, responsável por transportar o açúcar do sangue para as células, tem a sua ação dificultada. Isso gera um acúmulo de açúcar no sangue e, consequentemente, o organismo fica inflamado.

Esse problema pode resultar no diabetes tipo 2, também conhecido como diabesidade.

Além disso, a obesidade está bastante relacionada à hipertensão.

Quando o paciente resolve tratar a obesidade, cuida também da sua pressão arterial.

Perder peso é a solução?

A decisão de emagrecer pode salvar a vida do indivíduo obeso.

Ao eliminar gordura, ele também elimina outros fatores que acumulam-se e combinam-se no organismo e contam com altas chances de culminar em uma doença cardiovascular.

O indivíduo obeso é tratado como um paciente com síndrome metabólica. Com o metabolismo completamente alterado, é preciso ser examinado de forma completa.

Por exemplo, a gordura abdominal acima de 90cm para homens e de 80cm para as mulheres costuma ser um indicativo de risco para doença cardiovascular.

Se você está acima do peso, não ignore essa recomendação. Hoje mesmo, você pode começar uma rotina de atividades físicas e evitar alimentos cheios de açúcar e gordura de má qualidade.

Procurar ajuda médica nesse caso não é vergonha, mas sim um sinal de autocuidado.

Eu espero que com este artigo você entenda por que obesidade e doença cardiovascular estão relacionadas.

Até a próxima!