You are currently viewing Quais os suplementos cardiológicos mais importantes?

Recebo muitas perguntas sobre suplementos cardiológicos, com pessoal perguntando se eles realmente são necessários. E a resposta é NÃO!

Eles são importantes sim, mas complementares a uma boa alimentação, à prática de atividades físicas regulares e a boas noites de sono. Ou seja, de nada adianta você tomar suplementos se não mantiver um estilo de vida saudável.

Mas se você já é uma pessoa que se alimenta bem, não é sedentário e pratica bons hábitos de vida, os suplementos cardiovasculares podem ser um grande aliado na sua saúde. 

Inclusive, abaixo preparei uma lista, com 7 suplementos cardiológicos que considero importantes. Siga a leitura e confira!

1. Coenzima Q10 (Co Q10)

A coenzima Q10 (CoQ10) é uma substância semelhante a uma vitamina. É encontrado em todas as células do corpo, que produz CoQ10 e suas células a utilizam para gerar a energia de que seu corpo necessita para o crescimento e manutenção celular. 

Ela também funciona como um  antioxidante, que protege o corpo contra danos causados ​​por moléculas prejudiciais. 

A CoQ10 está naturalmente presente em pequenas quantidades em uma ampla variedade de alimentos, mas os níveis são particularmente elevados em carnes como coração, fígado, bem como carne bovina, óleo de soja, sardinha, cavala e amendoim.

As coenzimas ajudam as enzimas a trabalhar para ajudar a proteger o coração e os músculos esqueléticos. 

Por exemplo, a CoQ10 também ajuda a insuficiência cardíaca, além de aumentar a energia e acelerar a recuperação do exercício. 

2. Ácidos graxos ômega-3

Os ácidos graxos poli-insaturados ômega-3 são figurinhas certas quando falamos em suplementos para o coração. São encontrados no óleo de certos tipos de peixes gordos, vegetais e outras fontes vegetais. 

Esses ácidos graxos não são produzidos pelo corpo e devem ser consumidos na dieta ou por meio de suplementos, geralmente “óleo de peixe”. 

Afinal, eles atuam diminuindo a produção de triglicerídeos do corpo. Por exemplo, altos níveis de triglicerídeos podem causar doenças da artéria coronária, doenças cardíacas e derrame. 

O ômega-3 usado ​​junto com dieta e exercícios ajudam a reduzir os níveis de triglicerídeos no sangue.

3. Magnésio

Os baixos níveis de magnésio podem ser um indicador de doenças cardíacas, revelaram as pesquisas. O baixo magnésio tem sido associado a fatores de risco cardiovascular, tais como: 

  • Hipertensão 
  • Formação de placa arterial
  • Calcificação de tecidos moles
  • Colesterol 
  • Endurecimento das artérias

Sobretudo, os suplementos de magnésio vêm em várias formas e combinações de minerais, como citrato de magnésio, gluconato de magnésio, hidróxido de magnésio e a forma popular de sulfato de magnésio.

Leia também::: Qual é a conexão entre ansiedade e doenças cardíacas?

4. Berberine

Nas minhas práticas clínicas eu uso muito a suplementação de berberina com os meus pacientes. Há diversos benefícios da berberina.

Dessa forma, ela tem a capacidade de diminuir o colesterol, auxiliar na resistência insulínica, melhorar da função do endotélio vascular e da contração vascular, reduzir a pressão arterial, e reduzir as arritmias cardíacas. 

Enfim, berberina é vida. Ela possui um mecanismo de ação que nos encanta, porque ele consegue agir em múltiplas vias metabólicas. 

5. Cúrcuma

A cúrcuma é o tempero que dá ao curry sua cor amarela.

Tem sido usado na Índia há milhares de anos como tempero e erva medicinal. Aliás, a ciência recentemente começou a apoiar as alegações tradicionais de que a cúrcuma contém compostos com propriedades medicinais.

Esses compostos são chamados de curcuminoides. O mais importante é a curcumina, que é o principal ingrediente ativo da cúrcuma. Tem poderosos efeitos anti-inflamatórios e é um antioxidante muito forte.

E não é só como um tempero maravilhoso, a cúrcuma também tem alguns benefícios para a saúde, tais como:

É um anti-inflamatório natural

A inflamação é um processo necessário no corpo, pois combate invasores nocivos e repara danos causados ​​por bactérias, vírus e lesões. 

No entanto, a inflamação de longo prazo tem sido implicada na maioria das condições crônicas, como doenças cardíacas e câncer, por isso deve ser controlada, e é aí que entram os compostos anti-inflamatórios. 

Estudos mostram efeitos positivos da curcumina em pessoas que sofrem de doenças como artrite reumatoide e doença inflamatória intestinal, entre outras.

Poderoso antioxidante

A curcumina demonstrou ser um limpador robusto de radicais livres de oxigênio, que são moléculas quimicamente ativas que causam danos às células do corpo. 

Aliás, os danos dos radicais livres, juntamente com a inflamação, são um dos principais fatores de doenças cardiovasculares, de modo que a curcumina pode desempenhar um papel na prevenção e no controle de doenças cardíacas. 

Além dos efeitos antioxidantes, a cúrcuma também demonstrou reduzir o colesterol e os triglicerídeos em pessoas com risco de doença cardíaca, e pode melhorar a pressão arterial.

6. Quercetina

A quercetina é um pigmento que pertence a um grupo de compostos vegetais chamados flavonoides, que estão presentes em legumes, frutas, grãos, chá e vinho.

Os efeitos benéficos de flavonoides como a quercetina vêm de sua capacidade de funcionar como antioxidantes dentro do seu corpo. Afinal, antioxidantes são compostos que podem se ligar e neutralizar os radicais livres.

Pesquisas sugerem que a quercetina pode ajudar a reduzir os níveis de pressão arterial. Em estudos em tubo de ensaio, o composto parecia ter um efeito relaxante nos vasos sanguíneos.

Mas quando camundongos com pressão alta receberam quercetina diariamente por 5 semanas, seus valores de pressão arterial sistólica e diastólica (os números superior e inferior) diminuíram em média 18% e 23%, respectivamente.

Além disso, a quercetina inibe a oxidação do colesterol LDL. Embora o LDL seja geralmente associado a condições relacionadas ao coração, o LDL oxidado é a forma mais perigosa de colesterol. 

7. Vitamina K2

A vitamina K foi descoberta em 1929 como um nutriente essencial para a coagulação do sangue. Existem duas formas principais de vitamina K:

  • Vitamina K1 (filoquinona): encontrada em alimentos vegetais como folhas verdes.
  • Vitamina K2 (menaquinona): encontrada em alimentos de origem animal e alimentos fermentados

A vitamina K2 pode ser dividida em vários subtipos diferentes, sendo os mais importantes o MK-4 e o MK-7.

Além disso, a vitamina K ativa proteínas que desempenham um papel na coagulação do sangue, no metabolismo do cálcio e na saúde do coração.

Uma de suas funções mais importantes é regular a deposição de cálcio. Em outras palavras, promove a calcificação dos ossos e previne a calcificação dos vasos sanguíneos.

Leia também::: O que causa placas nas artérias?

Não brinque com seu coração!

Esses 7 suplementos são alguns dos que integram minha lista de indicações aos pacientes, mas há muitos outros que também são recomendados. Mas quero deixar claro aqui: jamais use qualquer suplemento por conta própria! 

É fundamental seguir a orientação de um profissional de saúde, que saberá determinar qual a dose correta para suas necessidades individuais, combinado?

Mas se deseja saber mais sobre suplementos cardiológicos, clique no botão abaixo e confira meu curso “Suplementação de A a Z”. Tenho certeza que será muito útil para sua saúde!