You are currently viewing Qual a relação entre emoções e saúde cardiovascular?

Desde os tempos antigos, o coração é um símbolo de nossas emoções. Mas os cientistas descobriram uma ligação física entre as emoções e saúde cardiovascular.

A ciência sugere uma ligação entre estresse, depressão e doenças cardíacas. Vários estudos sugerem fortemente que certos fatores psicossociais, como luto, depressão e perda do emprego, contribuem para infarto ou outras doenças cardiovasculares. 

O estresse pode afetar os fatores de risco para doenças cardíacas, como hipertensão. 

O estresse também pode afetar comportamentos que aumentam o risco, como fumar, comer demais, beber muito álcool e sedentarismo. 

Gerenciar e tratar essas condições é importante para reduzir o risco geral para a saúde. E no artigo abaixo, apresento essa relação entre emoções e saúde cardiovascular.

Como o estresse impacta no seu corpo

O estresse emocional causa uma reação em cadeia negativa em seu corpo. Se você está zangado, ansioso, tenso, frustrado, assustado ou deprimido, a resposta natural do seu corpo é liberar os hormônios do estresse. 

Esses hormônios incluem cortisol e adrenalina. Eles preparam seu corpo para lidar com o estresse. 

Por exemplo, eles fazem com que seu coração bata mais rapidamente e seus vasos sanguíneos se estreitem para ajudar a empurrar o sangue para o centro do corpo. 

Mas os hormônios também aumentam a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue. Acredita-se que essa resposta de “lutar ou fugir” remonte aos tempos pré-históricos, quando precisávamos de uma explosão extra de adrenalina para escapar de predadores.

Depois que o estresse diminuir, sua pressão arterial e frequência cardíaca devem voltar ao normal. 

Se você está continuamente estressado, seu corpo não tem chance de se recuperar. Isso pode causar danos às paredes das artérias.

Embora não esteja claro se o estresse por si só causa hipertensão ou doenças cardíacas, ele representa um risco indireto. Também tem um efeito negativo no seu bem-estar geral.

Leia também::: Entenda a importância do tratamento individualizado

A síndrome do coração partido

Veja, por exemplo, a síndrome do coração partido, também chamada de cardiomiopatia de estresse ou Síndrome de Takotsubo. 

Estudos mostraram que o risco de um infarto aumenta após a perda de um ente querido.

O coração pode ser afetado por outros choques além da perda de um ente querido. A cardiomiopatia por estresse pode ocorrer em reação a notícias estressantes, como o diagnóstico de câncer de um ente querido. E emoções fortes, como raiva, podem causar ritmos cardíacos irregulares.

As emoções negativas também podem afetar os hábitos de vida, o que, por sua vez, pode aumentar o risco de doenças cardíacas. 

Por exemplo, pessoas que estão cronicamente estressadas, ansiosas, deprimidas ou com raiva podem ter maior probabilidade de beber muito álcool, fumar, comer demais e fazer menos exercícios — todos hábitos prejudiciais à saúde que fazem mal ao coração.

E se o seu coração já estiver vulnerável?

Se você tem uma doença cardíaca, ela pode ser agravada pelo estresse emocional. Pacientes com doenças cardíacas e ansiedade têm duas vezes mais chances de morrer três anos após um evento cardíaco.

Além disso, os pacientes com doenças cardíacas têm três vezes mais chances de ficarem deprimidos. 

Para aqueles recém-diagnosticados com doença cardíaca, a depressão aumenta o risco de que um evento prejudicial relacionado ao coração ocorra naquele ano. 

Mesmo em pessoas sem doenças cardíacas anteriores, a depressão grave dobra o risco de morrer de causas relacionadas ao coração.

Ligação entre emoções e saúde cardiovascular

Sentir-se estressado o tempo todo pode aumentar o risco de infarto e derrame, de acordo com um novo estudo.

Mas, o estresse constante tem sido associado a uma maior atividade em uma área do cérebro ligada ao processamento de emoções e a uma maior probabilidade de desenvolver doenças cardíacas e circulatórias.

Os pesquisadores, da Universidade de Harvard, sugeriram que o estresse pode ser um fator de risco tão importante quanto fumar ou pressão alta.

A pesquisa foi composta por dois estudos. Principalmente, o estudo maior, composto por 293 pessoas, analisou suas imagens cerebrais e sugeriu que, quando você está estressado, sua amígdala (uma área do cérebro que lida com o estresse) sinaliza para a medula óssea para produzir glóbulos brancos extras.

Isso, por sua vez, faz com que as artérias fiquem inflamadas. Já sabemos que a inflamação está envolvida no processo que leva a infartos, angina e derrames.

Quando você passa por estresse, a amígdala envia um sinal de socorro ao hipotálamo, que então o comunica ao resto do corpo, de modo que esteja pronto para lutar ou fugir.

Por exemplo, no primeiro estudo (maior), os pesquisadores descobriram que a ligação entre a atividade na amígdala e eventos cardíacos posteriores e derrame foi devido ao aumento da atividade da medula óssea e inflamação arterial. 

Por conseguinte, o segundo (menor) estudo examinou especificamente a inflamação das artérias e a atividade da amígdala em pessoas altamente estressadas, e novamente encontrou uma associação entre o aumento da atividade amigdalar e mais inflamação arterial. 

Pessoas que se classificaram como mais estressadas também foram mais propensas a ter níveis mais altos de atividade na amígdala. 

Esses processos já haviam sido mostrados em camundongos, mas nunca antes em humanos, disseram os pesquisadores.

Leia também::: Existe cura para a pressão alta?

Cuide do seu coração!

Como fica claro, as emoções negativas causam um impacto direto na sua saúde cardiovascular. E por isso, o segredo é procurar uma vida mais positiva.

É claro que todos passamos por problemas, dificuldades, tristezas. Mas o segredo para uma saúde do coração melhor é não deixar que esses momentos ruins se sobressaiam.

Às vezes pode ser necessário a ajuda de um profissional da área da saúde para lhe ajudar a superar a depressão, a ansiedade, entre outras emoções negativas.

Além disso, a prática da meditação, da yoga, aliada a um estilo de vida saudável, também são fundamentais para melhorar as emoções em nosso corpo.

Portanto, agora que você já sabe a relação entre emoções e saúde cardiovascular, faça o que for necessário para ter mais alegria em sua vida!

E para mais dicas e informações sobre a saúde do coração, siga meu canal no Youtube. Tem sempre vídeo novo por lá!