You are currently viewing Sal na alimentação: o culpado da hipertensão?

O sal há muito é vilipendiado como o precursor da hipertensão. No entanto, à medida que a pesquisa sobre a doença se aprofunda, fica claro que a história do sal na alimentação é mais complexa. 

Os temores sobre o sal surgiram pela primeira vez há mais de um século. Em 1904, os médicos franceses relataram que seis de seus pacientes com pressão alta — um fator de risco conhecido para doenças cardíacas — eram viciados em sal. 

As preocupações aumentaram na década de 1970, quando Lewis Dahl, do Laboratório Nacional de Brookhaven, afirmou ter evidências “inequívocas” de que o sal causa hipertensão.

Para isso, ele induziu pressão alta em ratos alimentando-os com o equivalente humano a 500 gramas de sódio por dia. Hoje, as pessoas consomem em média 3,4 gramas de sódio, ou 8,5 gramas de sal, por dia.

Ou seja, será que o excesso de sal na alimentação é realmente um fator de risco para a hipertensão arterial? Sobre esse tema, confira o artigo abaixo!

O que é o sal?

O sal tem sido usado para dar sabor e preservar alimentos há milhares de anos. Todos nós precisamos de um pouco de sal para uma boa saúde.

Sal é o nome comum do cloreto de sódio (ou NaCl). É composto por 40% de sódio e 60% de cloreto. Em outras palavras, 2,5 g de sal contém 1 g de sódio e 1,5 g de cloreto.

Tanto o sódio quanto o cloreto são essenciais para muitas funções do corpo. Eles ajudam a regular a pressão sanguínea, controlar o equilíbrio de fluidos, manter as condições certas para as funções musculares e nervosas e permitir a absorção e o transporte de nutrientes através das membranas celulares. 

O cloreto também é usado para produzir ácido estomacal (ácido clorídrico, HCl), que nos ajuda a digerir os alimentos.

Como o sal aumenta nossa pressão arterial?

Normalmente, nossos rins fazem um bom trabalho na regulação dos níveis de sódio e água em nosso sangue. 

No entanto, para muitos de nós, comer muito sal pode perturbar esse equilíbrio, fazendo com que os níveis de sódio no sangue aumentem. 

Isso faz com que nosso corpo retenha mais água e aumenta tanto o fluido em torno de nossas células quanto o volume de sangue em nossa corrente sanguínea. 

À medida que o volume sanguíneo aumenta, a pressão em nossos vasos sanguíneos começa a aumentar e nosso coração precisa trabalhar mais para movimentar o sangue pelo corpo. 

Com o tempo, essa tensão extra pode levar ao endurecimento dos vasos sanguíneos e aumentar o risco de hipertensão, doenças cardíacas e derrame.

Leia também::: Existe cura para a pressão alta?

A redução do sal melhora a pressão arterial?

evidências consistentes de que reduções moderadas (ou seja, uma diminuição de 3 a 5 g ou ½ a 1 colher de chá por dia) na ingestão de sal pode levar a uma redução na pressão arterial. 

No entanto, esses efeitos podem não ser os mesmos para todos e dependerão da pressão arterial inicial de um indivíduo. 

Ou seja, maiores benefícios são observados em pessoas com pressão arterial mais alta, seu nível atual de ingestão de sal, genética, estado da doença e uso de medicamentos.

É importante observar que o sal não é o único fator de estilo de vida que pode influenciar nossa pressão arterial. 

Outros fatores como comer potássio suficiente, manter um peso corporal saudável, não fumar e ser fisicamente ativo também são importantes quando se trata de reduzir a pressão arterial. 

De onde vem o sal, e o sódio?

Embora muitas pessoas sejam rápidas em culpar o saleiro, apenas uma pequena quantidade de sódio na dieta é adicionada durante o preparo da comida caseira, ou então adicionado quando a comida já está na mesa. 

A maior parte do sódio que é consumido — cerca de 70% — vem de produtos processados, incluindo muitos produtos que nem ao menos têm gosto salgado. Ou seja, é usado o sódio para realçar o sabor até de alimentos doces.

O sódio desempenha muitos papéis em nossos alimentos, principalmente:

Para realçar o sabor

  • Adiciona um sabor salgado
  • Aumenta o equilíbrio do sabor e pode aumentar a doçura de itens açucarados
  • Mascara “notas erradas”, como amargor e sabores estranhos, que podem resultar do processamento de alimentos
  • Torna alguns tipos de alimentos processados ​​mais palatáveis

Para preservar o frescor

  • Aumenta a vida útil
  • Ajuda a prevenir o crescimento de bactérias e outros agentes causadores de doenças

Para melhorar a textura e a aparência

  • Faz com que o produto pareça mais espesso ou mais cheio
  • Aumenta a cor e o matiz
  • Ajuda a reter a umidade em produtos de carne processados ​​em troca de gordura saturada
  • Estabiliza a textura, permitindo que o pão cresça e o queijo grude
  • Impede alterações químicas indesejadas em outros ingredientes em muitos itens assados

Leia também::: Homocisteína elevada promove risco cardiovascular!

Continue segurando o sal

Como diversos estudos evidenciam, a redução no consumo do sal na alimentação — principalmente o sódio — impacta diretamente na melhora da pressão arterial.

Por isso, se você já sofre com hipertensão arterial, ou quer evitá-la, o caminho ainda continua sendo limitando o consumo de sódio (principalmente industrializados) na alimentação. Melhor, procure cortar ao máximo os alimentos processados.

Ao invés disso, prefira sempre comida de verdade, com muitas verduras, frutas, carne, e use temperos naturais para adicionar sabor aos pratos.

Dessa forma, você consegue obter um melhor controle da sua pressão arterial, evitando a hipertensão, apenas com uma boa alimentação.

Se quer um conselho anota esse: se for para se preocupar com algum tipo de pó branco na sua alimentação, preocupe-se muito mais com o açúcar do que com o pobre do sal! 

O açúcar ao elevar a sua insulina, gerando resistência insulínica e obesidade, é muito mais importante para a sua pressão arterial do que o pobre do sal de cozinha.

Espero que tenha gostado do artigo sobre como o sal na alimentação influencia na hipertensão. E para mais dicas e informações sobre saúde cardiovascular, siga meu canal no Youtube!